segunda-feira, 31 de agosto de 2015

E-Lixo


Atenção!

A campanha E-Lixo termina hoje (31/08/2015)
Entregue materiais como pilhas, lâmpadas, baterias e eletroeletrônicos nos pontos de coleta, nos seguintes horários:

FUNDEMA das 07h00min às 17h00min
Prefeitura Municipal 13h00min às 19h00min
Parque Central 07h00min às 19h00min


Ainda dá tempo, dê a destinação adequada para o seu lixo!

Faça sua parte. Separe seus materiais e ajude o meio ambiente!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Arborização de Caçador




A Fundação Municipal de Meio Ambiente (FUNDEMA), deu início a um novo processo de arborização para o Município de Caçador visando melhorar a qualidade de vida da cidade, respeitando valores culturais, ambientais e de memória local.

A arborização urbana caracteriza-se pelo plantio de árvores em praças, parques e calçadas de vias públicas. Atualmente, é uma atividades mais relevantes da gestão urbana, devendo fazer parte dos planos, projetos e programas urbanísticos de qualquer cidade.

As árvores desempenham um papel importante para os cidadãos e o meio ambiente (benefícios estéticos e funcionais) que vão muito além da implantação e do manejo. Com a implantação das árvores nas ruas, parques e praças a cidade terá benefícios que vão desde o conforto térmico até a prestação de serviços ambientais indispensáveis à regulação do ecossistema, tais como: elevar a permeabilidade do solo, controlar a temperatura e umidade do ar, ajudar na interceptação da água da chuva, proporcionar sombra e diminuir a poluição do ar.

A escolha do local e da espécie adequados proporciona melhores condições para o desenvolvimento da árvore minimizando riscos de acidentes, reduzindo a necessidade de podas, sem causar prejuízos à acessibilidade, entre outros benefícios.

Para dar início à arborização, está sendo realizado um censo das árvores existentes em todas as ruas do município de Caçador, com o objetivo de identificar as espécies, mensurar o diâmetro e altura das mesmas, suas condições físicas e fitossanitárias, bem como sua localização em relação à sarjeta e fiações elétricas, fatores estes que podem condicionar a substituição da mesma.

Para a seleção de árvores para compor a arborização de ruas é necessário considerar uma série de características das espécies, dentre estas: desenvolvimento, porte, copa (forma, densidade e hábito), floração, frutificação, raízes, resistência a pragas, doenças e poluição, ausência de princípios tóxicos; adaptabilidade, sobrevivência e desenvolvimento no local de plantio (devido às características do solo, por exemplo), bem como necessidade de manutenção. Ainda devem ser avaliadas as restrições de uso para o espaço físico tridimensional disponível no local de plantio.

Procura-se, em todo trabalho de arborização de ruas e avenidas, a diversificação das espécies como forma de evitar a monotonia e criar pontos de interesses diferentes dentro da malha urbana, bem como, evitar problemas de pragas e doenças.









Se você deseja contribuir com o processo de arborização entre em contato conosco pelo telefone 3567-2880 e nós vamos lhe orientar e doar as mudas para o plantio! Colabore, plante, cuide e cultive essa ideia.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A Campanha E-Lixo está Acabando!




A Fundação Municipal de Meio Ambiente (FUNDEMA) está realizando desde Julho a Campanha E-Lixo, que visa dar a destinação adequada  à materiais altamente prejudiciais ao Meio Ambiente.

Os materiais coletados são: Pilhas, Lâmpadas, Baterias e Eletroeletrônicos, que devem ser entregues nos seguintes pontos de coleta: Prefeitura Municipal de Caçador e  FUNDEMA. 

Estaremos aceitando materiais até o final deste mês (31/08/2015). Ainda dá tempo, dê a destinação adequada para o seu lixo!

Para mais informações sobre os materiais recebidos nesta campanha, entre em contato conosco: 3567-2880.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Os benefícios de ter um amigo de quatro patas

Quem nunca ouviu a expressão “cão o melhor amigo do homem”. Mas será que os animais tem a capacidade de amar?

Estudos comportamentais em animais relatam que todos os mamíferos tem a capacidade de sentir e ter emoções. Portanto, se estes animais têm sentimentos significa que sim, são capazes de amar, o que fazem deles os melhores amigos de qualquer pessoa. E qual pessoa não gostaria de ter uma amizade tão sincera que perdoa tudo e sem pedir nada em troca.

Adotar um cão assim como qualquer animal não é uma tarefa muito fácil traz consigo inúmeras responsabilidades, as pessoas que adotarem devem ter a consciência de que eles necessitam de atenção, carinho e cuidados.

Mesmo não sendo algo fácil vale muito a pena, pelos diversos benefícios psicológicos e  físicos que eles trazem.

  Os animais elevam a autoestima das pessoas ajudando- as em suas vidas sociais pelo fato de que tudo o que está envolvido em cuidar de um animal de estimação nos ajudam em questões como: condicionamento físico já que precisamos levá- los para passear, diminuição do estresse, incentiva a socialização e principalmente nos ajudam a se   tornar pessoas mais responsáveis. Valendo também para crianças que se beneficiam na forma de como elas interagem com as outras pessoas.

Existem também as chamadas terapias assistidas por animais, que consistem em vários métodos de ajuda para pessoas doentes ou com necessidades especiais. Entre os benefícios estão: a diminuição de quadros de depressão dos pacientes, diminuição do sentimento de solidão, menor tempo de internamento, entre outros. Atualmente o Hospital Albert Einstein permite aos internados receberem a visita de seus animais de estimação. Além disso, grupos de voluntários levam animais treinados para esse fim em visitas a hospitais, asilos, orfanatos e instituições de educação especial.  

Agora que você conhece todos os benefícios que traz um animalzinho de estimação que tal pensar na ideia de ter um também. Como já dizia George Eliot “Os animais são amigos tão agradáveis: não fazem perguntas, não criticam.”




sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Envenenamento de animais de pequeno porte

Envenenar é crime segundo a lei federal 9.605/18 decreto – lei 24. 645/34 com penalidade de três meses a um ano de detenção e multa.

No Brasil, as toxinas mais comuns que envenenam os animais de pequeno porte como cães e gatos são: a estricnina e o chumbinho, produtos de venda e comercialização proibidas no Brasil pela ANVISA, além de outros produtos de uso doméstico como detergentes, água sanitária, chocolates, medicamentos humanos e produtos de limpeza em geral.


Os sintomas mais comuns de envenenamento são: convulsões, salivação excessiva, diarreia, sangue na urina, falta de resposta a estímulos externos, tremores musculares e fraqueza generalizada que impossibilita o animal de ficar em pé.  O tempo de aparecimento destes sintomas varia de acordo com a quantidade de toxina ingerida.

Como devo proceder quando vejo que meu animalzinho foi envenenado?

Assim que o proprietário do animal perceba qualquer sintoma de envenenamento deve imediatamente levá- lo a uma clínica veterinária.  Para poder ganhar tempo pode- se administrar carvão ativado em cápsulas vendidas em qualquer farmácia.

Se você sabe de alguém que pratica este crime, ou conhece lugares que comercializem estes venenos denuncie pelos fones: 3567- 2880 e 3567-2860 FUNDEMA.

Calçadas Verdes



O ambiente urbano construído (casas, prédios, asfaltos, calçamentos, etc) ocasiona a impermeabilização do solo e a retirada da vegetação. A água impedida de infiltrar-se escorre superficialmente com maior velocidade, causando valetas nas ruas sem pavimentação e avoluma o fluxo dos riachos, causando alagamentos.
            Uma das maneiras de melhorar este quadro é permitindo que uma parte da água volte a infiltrar-se no solo e o uso de calçadas verdes pode ajudar neste objetivo. 

O município de Caçador dispõe de legislação moderna referente aos passeios públicos. O DECRETO Nº 3478, de 10 de abril de 2006, em seu primeiro artigo define o passeio público:
Art. 1º - Passeio público é a parte da via pública, normalmente segregada e em nível diferente, destinada à circulação de qualquer pessoa, independente de idade, estatura, limitação de mobilidade ou percepção, com autonomia e segurança, bem como à implantação de mobiliário urbano, equipamentos de infra-estrutura, vegetação, sinalização e outros fins previstos em leis específicas.
            Também define o conceito e forma de construir uma CALÇADA VERDE. No CAPÍTULO IX fala DAS CALÇADAS VERDES e possui 4 artigos orientando o munícipe sobre como proceder. O artigo 48 diz:
 Art. 48 - É permitido ao munícipe o ajardinamento do passeio correspondente ao seu lote dentro do conceito de calçada verde, desde que respeitadas as seguintes disposições:
I - para receber 1 (uma) faixa de ajardinamento, o passeio deverá ter largura mínima de 2m (dois metros);
II - para receber 2 (duas) faixas de ajardinamento, o passeio deverá ter largura mínima de 2,5m (dois metros e meio), sendo uma junto à faixa de serviço e outra junto à faixa de acesso;
III - as faixas ajardinadas não poderão interferir na faixa de circulação que deverá ser contínua e com largura mínima de 1,20m (um metro e vinte centímetros).
 IV - deverão ser evitados obstáculos ao escoamento das águas pluviais para os canteiros de vegetação podendo ser instalada uma grelha, que facilita o fluxo dos pedestres.
            Portanto, na implantação de uma calçada verde deve-se manter uma faixa de 1,20m como faixa de circulação (o passeio propriamente dito) e próximo ao meio fio ou guia formar uma faixa verde onde será plantada a grama, plantas ornamentais e a arborização urbana (outra faixa será próximo ao muro se a largura do passeio for maior que 2,5m). A faixa de grama deve ser no mesmo nível (ou mais baixo) que o piso da calçada para que receba a água da chuva e, assim, infiltre-se no solo.


A FUNDEMA está essa semana realizando o plantio de diversas árvores no nosso Município, como exemplo a calçada em frente ao Instituto Federal Santa Catarina (IFSC). Quem tiver interesse em estar plantando alguma das espécies disponíveis em frente a sua residência pode estar entrando em contato através do telefone 3567-2880 ou 3567-2344. Cada cidadão fazendo um pouco, teremos uma soma de benefícios, que resultará numa cidade mais agradável e ambientalmente correta.

Cerejeiras do japão, plantadas em frente ao IFSC Caçador.
Cerejeiras do japão, plantadas em frente ao IFSC Caçador.

 





































quarta-feira, 29 de julho de 2015

SOS Nascentes


                A água é considerada um dos bens mais preciosos que a humanidade possui, desta forma, para que ela continue existindo em qualidade e quantidade suficientes para o abastecimento da população, é de suma importância que a mesma seja preservada. Sabe-se que as características da vegetação são fundamentais para a determinação da qualidade das águas, pode-se afirmar que a proteção de nascentes garante que as mesmas não sofram contaminação, evitando assim a proliferação de doenças.

                Para proteger as nascentes do município, a FUNDEMA em parceria com a Epagri vem realizando desde 2009 a implantação de proteção de nascentes por método CAXAMBU, tendo implantado mais de 100 unidades de proteção de fontes e recomposição de cerca de 6000 m² de APP.

                O método CAXAMBU foi desenvolvido pela EPAGRI, da cidade de Caxambu do Sul/SC, e é utilizada em diversos municípios do estado, possuindo grande eficiência e fácil instalação. Este método consiste basicamente na recomposição da vegetação ao entorno da nascente, e na construção de um “grande filtro” no próprio local de origem, o qual conta com um tubo de distribuição para a residência do proprietário do terreno e todo o excedente segue seu curso natural, mantendo assim a vazão natural de nossos rios.

                Os interessados em proteger as nascentes de sua propriedade, devem entrar em contato com a Fundação através do fone 3567-2880.


quarta-feira, 22 de julho de 2015

Cadelinha para adoção



Esta linda cadelinha, com aproximadamente 3 meses muito querida e brincalhona. Está em busca de um novo lar, Já foi levada  ao veterinário onde foram dados os primeiros cuidados.
 
Interessados favor entrar em contato pelos telefones: 
9929-1752 / 3563-1903 (Elaine)
 ou 9917-5417 (Thiago).
 
 

Novo horário de atendimento

Informamos que a partir desta semana, a FUNDEMA estará atendendo em novo horário: das 7:00 h às 13:00 h.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

O que é compostagem? E como ela acontece?

Compostagem é basicamente a transformação do material orgânico em adubo. É um processo natural em que os microrganismos tais como fungos e bactérias são responsáveis pela decomposição aeróbica da matéria orgânica. O objetivo desse processo é simples: reduzir o lixo que vai para o aterro sanitário de forma sustentável.  Atualmente a cidade de Caçador produz aproximadamente 34 toneladas de resíduos diariamente que são destinados ao aterro, aproximadamente 14 toneladas desse resíduo é orgânico. Com a técnica de “compostagem” é possível reduzir 40% desse material destinado ao aterro ajudando assim a prolongar sua vida útil, e o adubo, resultado da compostagem, pode ser utilizado em técnicas agrícolas.

Você já pensou em ajudar a reduzir esses resíduos em casa? Sim, a técnica da compostagem é fácil e pode ser feita em casa.


Para fazer a compostagem em casa você precisa apenas separar o material orgânico do reciclável.




A compostagem acontece de forma simples e pratica e existem no comércio vários modelos de composteira domestica. Em uma delas são utilizadas  três caixas plásticas do mesmo tamanho e que se encaixem para montar a “composteira”. Duas delas tem pequenos furos no fundo e na lateral para ventilação. As caixas devem ser empilhadas, deixando sempre a que não contém furo por último, a segunda caixa deve ser preenchida com terra, junto com a terra você pode colocar alguns resíduos secos tais como, folhas e serragem. Na última caixa você pode fazer uma camada de terra com serragem e coloca os resíduos orgânicos cortados em pequenos pedaços para facilitar o processo (cascas de alimentos, resto de comida, etc), acrescentar serragem e mais um pouco de composto orgânico até que a sua caixa esteja cheia. É recomendado cobrir a caixa para que alguns insetos indesejáveis não se aproximem.



Durante o período em que você deposita o material na caixa de cima, deve mexer o resíduo para oxigenar a mistura e assim não gerar cheiro desagradável, e para que ao final do processo você tenha uma material homogêneo. Quando encheu a caixa superior deve-se trocá-la com a do meio, começando novamente o processo. Enquanto você coloca o resíduo na segunda caixa, aquela que você passou para baixo vai se tornado adubo. Lembrando apenas que existem mais processos, e que dependendo do tamanho da família não será viável usar esse tipo e composteira. Caso a quantidade de resíduos seja maior, o processo indicado é aquele que é conhecido como Pilha de Composto Orgânico.  

Para fazer a pilha de composto orgânico você deve escolher um local plano, livre de ventos e de fácil acesso para carga e descarga do material, próximo a uma fonte de água para as irrigações periódicas. Você pode começar o processo espalhando uma camada de mais ou menos uns 30 cm de serragem, palha, folhas secas de árvores e restos de jardinagem (gramas entre outros resíduos) após esse processo espalhe uma camada de resíduo orgânico, repita a operação até formar a pilha. Semanalmente deve-se remexer a pilha para que assim o processo não se torne anaeróbico.

Cinzas de lareira ou fogão, também podem ser colocadas, mas em pequena quantidade. Cascas, folhas verdes de hortaliças, frutas, aparas de poda e estercos são considerados materiais verdes e são ricos em nitrogênio e carbono.

No final do processo já não será mais possível identificar os materiais que foram postos ali. Agora, toda aquela matéria orgânica que teria o destino do aterro, já está decomposta, terá o cheiro de terra, uma cor marrom escura ou preta e o aspecto esfarelado e homogêneo resultando em adubo para qualquer cultivo, até melhor que os adubos químicos uma vez que não agride o meio ambiente e é orgânico. .



sexta-feira, 10 de julho de 2015

Campanha E-Lixo deve receber grande quantidade de lâmpadas


A Fundação Municipal de Meio Ambiente (Fundema) da Prefeitura de Caçador, está colocando a disposição da população, três pontos de coleta para a Campanha E-Lixo 2015, onde podem ser entregues pilhas, lâmpadas fluorescentes, baterias e eletroeletrônicos. A campanha vai acontecer nos meses de julho e agosto e tem por objetivo auxiliar os moradores a se desfazerem de forma ambientalmente correta desses materiais. Os pontos de coleta são Prefeitura, Parque Central José Rossi Adami e na Fundema.


De acordo com o presidente da Fundema, Luiz Gustavo Pavelski, um dos dados que chama atenção referente à campanha do ano passado, é a coleta de lâmpadas. “Foram cerca de cinco mil lâmpadas fluorescentes entregues nos pontos de coleta. Esse material foi repassado para uma empresa que possui condições de reciclar ou dar um fim ambientalmente correto, sem prejudicar a natureza. Este ano, novamente serão adotadas as mesmas medidas”, explica Gustavo.

Além das lâmpadas fluorescentes, em 2014 a Campanha E-Lixo recolheu cerca de 400 quilos de pilhas e baterias, e 500 quilos de materiais eletroeletrônicos (200 monitores de computadores).

“Nós convidamos a população para que colabore. Muitas vezes temos esses materiais em casa e não sabemos de que forma podemos nos desfazer. Sendo assim, a Campanha E-Lixo possui essa finalidade”, reforça Luiz Gustavo Pavelski.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Campanha E-Lixo 2015


A Fundação Municipal de Meio Ambiente (FUNDEMA) estará realizando durante os meses de Julho e Agosto a Campanha E-Lixo (01/07/2015 à 30/08/2015), que tem como intuito principal coletar e dar a destinação adequada  à materiais que não podem ser dispostos em Aterro Sanitário Convencional, ou serem utilizados pela COOCIMA.

Esta campanha foi realizada no ano de 2014, tendo grande participação da população, sendo aceito os seguintes materiais: Pilhas, Lâmpadas, Baterias e Eletroeletrônicos. 

Os materiais devem ser entregues nos seguintes pontos de coleta: Prefeitura Municipal de Caçador e  FUNDEMA.

 Para mais informações sobre os materiais recebidos nesta campanha, bem como a importância de sua destinação adequada, segue abaixo a relação dos informativos publicados no ano passado:

Entidades interessadas em participar da campanha, sendo um ponto de coleta, devem entrar em contato com a FUNDEMA através do fone: 3567-2880.

Faça sua parte. Separe seus materiais e ajude o meio ambiente!


quarta-feira, 24 de junho de 2015

Bosque Modelo Caçador


Um Bosque Modelo pode ser definido como um processo de base social, no qual várias instituições unem esforços para o desenvolvimento sustentável do território buscando a melhoria da qualidade de vida das pessoas e o aumento da produção agrícola e florestal em harmonia com a natureza, combinando produtividade e proteção ambiental.

O Bosque Modelo Caçador (BMCDR) é todo o perímetro do município, e tem como missão; proporcionar melhor qualidade de vida e conservação ambiental por meio da gestão participativa do território, fortalecendo a agricultura familiar e a identidade cultural, assim como a melhoria, conservação e uso da floresta e dos recursos hídricos.


No plano estratégico do Bosque Modelo Caçador foram elaboradas quatro linhas estratégicas, são elas:

Valorização da identidade local com o objetivo de promover a cultura e os produtos, costumes, serviços do território. A valorização da identidade local é uma maneira de fortalecer a agricultura familiar e orgânica, e também diagnosticar e reconhecer tradições culturais de Caçador.

Uso e conservação da floresta ombrófila mista (FOM) procurando estabelecer modelos para gestão dos recursos florestais, devido à necessidade de se discutir a legislação ambiental vigente, estudar e pesquisar mais acerca do manejo de espécies nativas na região e possibilitar mecanismos interessantes para a conservação da FOM, como incentivos financeiros e formas alternativas de produção.


Uso e conservação dos recursos hídricos objetivando fortalecer o modelo de gestão dos recursos hídricos do território já que caçador desempenha papel fundamental pelo fato de ser a primeira cidade urbanizada depois da nascente do Rio do Peixe.  Dentro do Bosque Modelo tem projetos voltados à recuperação das matas ciliares e limpeza dos rios.

 Promoção e divulgação do Bosque Modelo a fim de que haja o conhecimento da sociedade civil em relação à iniciativa, a promoção da participação de mais organizações e mais setores nas reuniões e atividades, e a possibilidade de se obter apoio estrutural e financeiro e a comunicação estratégica com a Rede Iberoamericana de Bosques Modelo.

Além do plano estratégico em si, outras questões essenciais para o estabelecimento de um BM foram trabalhadas, como a identidade e a estrutura organizacional do BMCDR. Através de reuniões e entrevistas realizadas, foi possível facilitar o entendimento das pessoas em relação ao significado do conceito Bosque Modelo, criar uma logomarca, promover a sua divulgação e estruturar a organização e as regras gerais de funcionamento do Bosque Modelo Caçador.


Interessados em participar das ações e reuniões do Bosque Modelo Caçador e em caso de dúvidas, favor entrar em contato pelo e- mail: bosquemodelocacador@hotmail.com

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Horto Florestal Municipal

O Horto Municipal de Caçador produz mudas nativas e ornamentais para atender as demandas de diversos projetos, entre eles a Recuperação Florestal, Jardinagem e Paisagismo do Município, Educação Ambiental e Doação para os Munícipes. O trabalho é desenvolvido pela Prefeitura Municipal através da Fundação Municipal de Meio Ambiente e possui estrutura com capacidade de produzir cerca de 120 mil mudas anuais.

 No viveiro de mudas ornamentais são produzidas cerca de 100 mil mudas de flores anualmente, utilizadas exclusivamente para suprir a demanda para a jardinagem realizada pela própria equipe da Fundação, das praças, rótulas e jardins, do Município de Caçador.

Já no viveiro de mudas de árvores nativas são produzidas cerca de 20 mil mudas por ano. Para atender a demanda de uma recuperação florestal existente, este viveiro está passando por um processo de ampliação, visando dobrar sua capacidade de produção para o segundo semestre deste mesmo ano.

Pedimos auxilio para a população na coleta de sementes, para que as mudas possam ser produzidas e distribuídas. Sendo que para a coleta das sementes, pode-se entrar em contato pelo fone 3567-2880 ou estas devem ser trazidas até a FUNDEMA.


As mudas de árvores nativas estão disponíveis para doação à população, sendo necessário comparecer a FUNDEMA para solicitar uma requisição que deve ser entregue no Horto Florestal para retirada das mudas. Atualmente as mudas disponíveis são:



segunda-feira, 8 de junho de 2015

Agricultores de Caçador estão preservando as nascentes de água

Nesta sexta-feira, dia 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. Em Caçador um dos projetos que ilustram a preocupação com a preservação do planeta está relacionado com os cuidados com a água, que é um recurso natural e essencial para a vida e que poderá ter fim se não preservada. A Prefeitura de Caçador, através da FUNDEMA, com apoio da EPAGRI, mantém o Projeto SOS Nascentes.
O presidente da FUNDEMA, Luiz Gustavo Pavelski, explica que o foco do trabalho é a preservação das nascentes existentes nas propriedades rurais distribuídas por todo interior do município. Com a iniciativa, a população que não tem acesso à água tratada igualmente ao que ocorre na área urbana, possui nascentes totalmente livres de contaminação. Além disso, a preservação tem o objetivo de manter a quantidade e a qualidade de água constante, para ser utilizada pelos atuais moradores e pelas gerações futuras.
O projeto SOS Nascentes completa em 2015, dez anos de existência, mas foi a partir do final de 2013 que recebeu atenção especial. De acordo com os dados da FUNDEMA, atualmente Caçador é o município em Santa Catarina que mais possui nascentes preservadas, no total são 91 somente neste projeto, sendo que outras 50 estão com o processo em andamento. Porém, vale lembrar que existem outras iniciativas como o Projeto Micro Bacias e o da Caixa Econômica Federal que possuem o mesmo objetivo.
Se somadas todas as iniciativas, Caçador possui 215 nascentes de água sendo preservadas. A proteção das fontes consiste na implantação do modelo caxambu, uma tecnologia  desenvolvida pela EPAGRI e que é usada por diversos municípios no Brasil.
A diretora de Meio Ambiente da FUNDEMA e engenheira ambiental, Raquel Gomes de Almeida, explica que a proteção possui grande vantagem, pois além de garantir que a nascente não será contaminada por agentes externos, que podem ser, por exemplo, agrotóxicos, dejetos de animais e também de humanos, apresenta uma metodologia de fácil execução, sendo que no máximo em um dia de trabalho conclui-se a vedação da nascente. No caso de Caçador, a Prefeitura fornece todo o material para a preservação da fonte, a única contrapartida do beneficiado é a mão de obra para que o trabalho seja executado. “Uma das principais vantagens desse método, é o baixo custo de implantação, o que possibilita que várias famílias sejam contempladas”, explica a engenheira.
Existem duas modalidades de trabalho a serem desenvolvidas para cada nascente. Para diagnosticar qual dos serviços precisa ser realizado, equipes da FUNDEMA e da EPAGRI de Caçador realizam uma visita técnica. Para o procedimento mais simples que é adotado em nascentes que já possuem a Área de Preservação Permanente (APP) preservadas do contato humano e de grandes animais, recebe investimento de cerca de R$ 500,00 cada. Já em outros casos, em que houve devastação da área no entorno da nascente e com acesso de animais, o investimento individual fica em torno de R$ 2,7 mil.
De acordo com Raquel, além de ganhar todo o material que é composto de tubos, canos, pedras, lona e argamassa, em casos em que há necessidade, o produtor recebe mudas nativas e frutíferas para serem plantadas nas imediações da nascente. “Além da proteção, as áreas implantadas passam a ser cercadas respeitando a legislação vigente para o assunto, e são plantadas diversas mudas de espécies nativas, produzidas no horto municipal pela própria FUNDEMA. O objetivo é conservar esse espaço e evitar que animais caminhem por cima e destruam o trabalho de preservação realizado. Outro fator importante é que a presença de vegetação funciona como proteção, pois auxilia na manutenção da umidade do local, evita erosão e assoreamento”, explica a engenheira ambiental.
Devido à aceitação que o projeto SOS Nascentes de Caçador obteve junto aos produtores rurais, atualmente está ocorrendo à ampliação de algumas atividades. Além da preservação das nascentes, o projeto contempla outras duas linhas. Uma delas é o tratamento de efluente doméstico, em que está ocorrendo também por parte da Prefeitura à doação do conjunto de material contendo fossa, filtro e caixa de gordura, para propriedades que não possuem nenhum tipo de tratamento do esgoto doméstico.
Além disso, a FUNDEMA está promovendo a instalação de pontos de entrega voluntária para material reciclável no interior. Mediante a um cronograma definido pelo setor, caminhões realizam a coleta do material beneficiando também os moradores da área rural.


Os produtores aprovam o sistema caxambu

Ao percorrer toda a área rural do município de Caçador, é difícil encontrar um produtor rural que não faz uso do sistema caxambu. Os que ainda não fazem parte, já estão com o projeto em andamento. O objetivo da FUNDEMA é ter 100% das propriedades rurais usufruindo de água do projeto. A prioridade é contemplar as nascentes que fornecem água para o consumo humano.
Na comunidade da Linha Rio Bugre, distante cerca de dez quilômetros da área central da cidade de Caçador, o produtor Renato Pelegrinello realizou a construção do caxambu em três nascentes de água. Uma das mais antigas é usada há 60 anos pela família, inclusive a água passa periodicamente por análises, pois a água é utilizada em uma fábrica de sucos que é mantida na propriedade.
“A água é perfeita, limpa, mandamos amostras para análise em laboratório e não existe nenhum tipo de contaminação. Inclusive aumentou a produção de água, pois preservamos os arredores e isso influencia. O caxambu é importante pois estamos preservando uma nascente, mesmo que ela não esteja sendo utilizada, é uma garantia para o futuro”, comenta o produtor Renato.
A FUNDEMA e EPAGRI já iniciaram este ano a coleta de amostras de água e análises já estão sendo realizadas. De acordo com a extensionista social da EPAGRI, Daniela Helena Conorath, a partir do próximo ano será possível realizar um comparativo da qualidade da água após a implantação dos caxambus.
“Assim que começamos a trabalhar com o projeto houve uma grande demanda e impossibilitou que conseguíssemos dar conta de todo o trabalho. Agora em 2015 já estamos realizando esse trabalho e os dados poderão futuramente ser comparados com os de 2016”, afirma Daniela.


Como é feito o caxambu


A engenheira ambiental Raquel Gomes de Almeida ensina que após a análise da nascente feita pela equipe técnica, começa a preparação do local. Todo o lodo, folhas e raízes devem ser removidos até se chegar à terra firme, a limpeza é importante, pois a nascente vai ficar lacrada e não se terá mais acesso a ela.
Depois disso, com cal é feito a desinfecção das paredes da nascente e na sequencia usa-se um tubo com canos de plástico acoplados com argamassa, a serem usados para as saídas da água. Então abre-se uma vala no sentido em que a água nasce e este será o local por onde a água vai até o tubo.
Veda-se bem as paredes com o tubo, formando uma espécie de muro que terá todo o interior preenchido por pedras ferro. As pedras tem o objetivo de formar um grande filtro para passagem da água desde a nascente até o cano de saída.
Além disso, durante a execução do trabalho é necessário lavar as pedras com água sanitária. Posteriormente coloca-se uma lona preta por cima das pedras, que terá o objetivo de evitar que a água da chuva infiltre na nascente levando consigo poluição e partículas de solo.
E por fim, toda a lona e a nascente são cobertas com terra, local em que a vegetação vai nascer. Depois de certo tempo, com o crescimento da vegetação, percebe-se apenas o tubo com os canos que são as saídas de água. O indicado ainda é cercar toda a área e plantar diversas árvores nas imediações, as quais irão ajudar.