quarta-feira, 1 de julho de 2015

Campanha E-Lixo 2015


A Fundação Municipal de Meio Ambiente (FUNDEMA) estará realizando durante os meses de Julho e Agosto a Campanha E-Lixo (01/07/2015 à 30/08/2015), que tem como intuito principal coletar e dar a destinação adequada  à materiais que não podem ser dispostos em Aterro Sanitário Convencional, ou serem utilizados pela COOCIMA.

Esta campanha foi realizada no ano de 2014, tendo grande participação da população, sendo aceito os seguintes materiais: Pilhas, Lâmpadas, Baterias e Eletroeletrônicos. 

Os materiais devem ser entregues nos seguintes pontos de coleta: Prefeitura Municipal de Caçador e  FUNDEMA.

 Para mais informações sobre os materiais recebidos nesta campanha, bem como a importância de sua destinação adequada, segue abaixo a relação dos informativos publicados no ano passado:

Entidades interessadas em participar da campanha, sendo um ponto de coleta, devem entrar em contato com a FUNDEMA através do fone: 3567-2880.

Faça sua parte. Separe seus materiais e ajude o meio ambiente!


segunda-feira, 29 de junho de 2015

Filhote pra Adoção

Essa cachorrinha foi encontrada na rua , e está procurando um novo lar 

Interessados entrar em contato com

Janete Ap Tarniowicz
(49) 99690313
Caçador -SC

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Bosque Modelo Caçador


Um Bosque Modelo pode ser definido como um processo de base social, no qual várias instituições unem esforços para o desenvolvimento sustentável do território buscando a melhoria da qualidade de vida das pessoas e o aumento da produção agrícola e florestal em harmonia com a natureza, combinando produtividade e proteção ambiental.

O Bosque Modelo Caçador (BMCDR) é todo o perímetro do município, e tem como missão; proporcionar melhor qualidade de vida e conservação ambiental por meio da gestão participativa do território, fortalecendo a agricultura familiar e a identidade cultural, assim como a melhoria, conservação e uso da floresta e dos recursos hídricos.


No plano estratégico do Bosque Modelo Caçador foram elaboradas quatro linhas estratégicas, são elas:

Valorização da identidade local com o objetivo de promover a cultura e os produtos, costumes, serviços do território. A valorização da identidade local é uma maneira de fortalecer a agricultura familiar e orgânica, e também diagnosticar e reconhecer tradições culturais de Caçador.

Uso e conservação da floresta ombrófila mista (FOM) procurando estabelecer modelos para gestão dos recursos florestais, devido à necessidade de se discutir a legislação ambiental vigente, estudar e pesquisar mais acerca do manejo de espécies nativas na região e possibilitar mecanismos interessantes para a conservação da FOM, como incentivos financeiros e formas alternativas de produção.


Uso e conservação dos recursos hídricos objetivando fortalecer o modelo de gestão dos recursos hídricos do território já que caçador desempenha papel fundamental pelo fato de ser a primeira cidade urbanizada depois da nascente do Rio do Peixe.  Dentro do Bosque Modelo tem projetos voltados à recuperação das matas ciliares e limpeza dos rios.

 Promoção e divulgação do Bosque Modelo a fim de que haja o conhecimento da sociedade civil em relação à iniciativa, a promoção da participação de mais organizações e mais setores nas reuniões e atividades, e a possibilidade de se obter apoio estrutural e financeiro e a comunicação estratégica com a Rede Iberoamericana de Bosques Modelo.

Além do plano estratégico em si, outras questões essenciais para o estabelecimento de um BM foram trabalhadas, como a identidade e a estrutura organizacional do BMCDR. Através de reuniões e entrevistas realizadas, foi possível facilitar o entendimento das pessoas em relação ao significado do conceito Bosque Modelo, criar uma logomarca, promover a sua divulgação e estruturar a organização e as regras gerais de funcionamento do Bosque Modelo Caçador.


Interessados em participar das ações e reuniões do Bosque Modelo Caçador e em caso de dúvidas, favor entrar em contato pelo e- mail: bosquemodelocacador@hotmail.com

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Horto Florestal Municipal

O Horto Municipal de Caçador produz mudas nativas e ornamentais para atender as demandas de diversos projetos, entre eles a Recuperação Florestal, Jardinagem e Paisagismo do Município, Educação Ambiental e Doação para os Munícipes. O trabalho é desenvolvido pela Prefeitura Municipal através da Fundação Municipal de Meio Ambiente e possui estrutura com capacidade de produzir cerca de 120 mil mudas anuais.

 No viveiro de mudas ornamentais são produzidas cerca de 100 mil mudas de flores anualmente, utilizadas exclusivamente para suprir a demanda para a jardinagem realizada pela própria equipe da Fundação, das praças, rótulas e jardins, do Município de Caçador.

Já no viveiro de mudas de árvores nativas são produzidas cerca de 20 mil mudas por ano. Para atender a demanda de uma recuperação florestal existente, este viveiro está passando por um processo de ampliação, visando dobrar sua capacidade de produção para o segundo semestre deste mesmo ano.

Pedimos auxilio para a população na coleta de sementes, para que as mudas possam ser produzidas e distribuídas. Sendo que para a coleta das sementes, pode-se entrar em contato pelo fone 3567-2880 ou estas devem ser trazidas até a FUNDEMA.


As mudas de árvores nativas estão disponíveis para doação à população, sendo necessário comparecer a FUNDEMA para solicitar uma requisição que deve ser entregue no Horto Florestal para retirada das mudas. Atualmente as mudas disponíveis são:



segunda-feira, 8 de junho de 2015

Agricultores de Caçador estão preservando as nascentes de água

Nesta sexta-feira, dia 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. Em Caçador um dos projetos que ilustram a preocupação com a preservação do planeta está relacionado com os cuidados com a água, que é um recurso natural e essencial para a vida e que poderá ter fim se não preservada. A Prefeitura de Caçador, através da FUNDEMA, com apoio da EPAGRI, mantém o Projeto SOS Nascentes.
O presidente da FUNDEMA, Luiz Gustavo Pavelski, explica que o foco do trabalho é a preservação das nascentes existentes nas propriedades rurais distribuídas por todo interior do município. Com a iniciativa, a população que não tem acesso à água tratada igualmente ao que ocorre na área urbana, possui nascentes totalmente livres de contaminação. Além disso, a preservação tem o objetivo de manter a quantidade e a qualidade de água constante, para ser utilizada pelos atuais moradores e pelas gerações futuras.
O projeto SOS Nascentes completa em 2015, dez anos de existência, mas foi a partir do final de 2013 que recebeu atenção especial. De acordo com os dados da FUNDEMA, atualmente Caçador é o município em Santa Catarina que mais possui nascentes preservadas, no total são 91 somente neste projeto, sendo que outras 50 estão com o processo em andamento. Porém, vale lembrar que existem outras iniciativas como o Projeto Micro Bacias e o da Caixa Econômica Federal que possuem o mesmo objetivo.
Se somadas todas as iniciativas, Caçador possui 215 nascentes de água sendo preservadas. A proteção das fontes consiste na implantação do modelo caxambu, uma tecnologia  desenvolvida pela EPAGRI e que é usada por diversos municípios no Brasil.
A diretora de Meio Ambiente da FUNDEMA e engenheira ambiental, Raquel Gomes de Almeida, explica que a proteção possui grande vantagem, pois além de garantir que a nascente não será contaminada por agentes externos, que podem ser, por exemplo, agrotóxicos, dejetos de animais e também de humanos, apresenta uma metodologia de fácil execução, sendo que no máximo em um dia de trabalho conclui-se a vedação da nascente. No caso de Caçador, a Prefeitura fornece todo o material para a preservação da fonte, a única contrapartida do beneficiado é a mão de obra para que o trabalho seja executado. “Uma das principais vantagens desse método, é o baixo custo de implantação, o que possibilita que várias famílias sejam contempladas”, explica a engenheira.
Existem duas modalidades de trabalho a serem desenvolvidas para cada nascente. Para diagnosticar qual dos serviços precisa ser realizado, equipes da FUNDEMA e da EPAGRI de Caçador realizam uma visita técnica. Para o procedimento mais simples que é adotado em nascentes que já possuem a Área de Preservação Permanente (APP) preservadas do contato humano e de grandes animais, recebe investimento de cerca de R$ 500,00 cada. Já em outros casos, em que houve devastação da área no entorno da nascente e com acesso de animais, o investimento individual fica em torno de R$ 2,7 mil.
De acordo com Raquel, além de ganhar todo o material que é composto de tubos, canos, pedras, lona e argamassa, em casos em que há necessidade, o produtor recebe mudas nativas e frutíferas para serem plantadas nas imediações da nascente. “Além da proteção, as áreas implantadas passam a ser cercadas respeitando a legislação vigente para o assunto, e são plantadas diversas mudas de espécies nativas, produzidas no horto municipal pela própria FUNDEMA. O objetivo é conservar esse espaço e evitar que animais caminhem por cima e destruam o trabalho de preservação realizado. Outro fator importante é que a presença de vegetação funciona como proteção, pois auxilia na manutenção da umidade do local, evita erosão e assoreamento”, explica a engenheira ambiental.
Devido à aceitação que o projeto SOS Nascentes de Caçador obteve junto aos produtores rurais, atualmente está ocorrendo à ampliação de algumas atividades. Além da preservação das nascentes, o projeto contempla outras duas linhas. Uma delas é o tratamento de efluente doméstico, em que está ocorrendo também por parte da Prefeitura à doação do conjunto de material contendo fossa, filtro e caixa de gordura, para propriedades que não possuem nenhum tipo de tratamento do esgoto doméstico.
Além disso, a FUNDEMA está promovendo a instalação de pontos de entrega voluntária para material reciclável no interior. Mediante a um cronograma definido pelo setor, caminhões realizam a coleta do material beneficiando também os moradores da área rural.


Os produtores aprovam o sistema caxambu

Ao percorrer toda a área rural do município de Caçador, é difícil encontrar um produtor rural que não faz uso do sistema caxambu. Os que ainda não fazem parte, já estão com o projeto em andamento. O objetivo da FUNDEMA é ter 100% das propriedades rurais usufruindo de água do projeto. A prioridade é contemplar as nascentes que fornecem água para o consumo humano.
Na comunidade da Linha Rio Bugre, distante cerca de dez quilômetros da área central da cidade de Caçador, o produtor Renato Pelegrinello realizou a construção do caxambu em três nascentes de água. Uma das mais antigas é usada há 60 anos pela família, inclusive a água passa periodicamente por análises, pois a água é utilizada em uma fábrica de sucos que é mantida na propriedade.
“A água é perfeita, limpa, mandamos amostras para análise em laboratório e não existe nenhum tipo de contaminação. Inclusive aumentou a produção de água, pois preservamos os arredores e isso influencia. O caxambu é importante pois estamos preservando uma nascente, mesmo que ela não esteja sendo utilizada, é uma garantia para o futuro”, comenta o produtor Renato.
A FUNDEMA e EPAGRI já iniciaram este ano a coleta de amostras de água e análises já estão sendo realizadas. De acordo com a extensionista social da EPAGRI, Daniela Helena Conorath, a partir do próximo ano será possível realizar um comparativo da qualidade da água após a implantação dos caxambus.
“Assim que começamos a trabalhar com o projeto houve uma grande demanda e impossibilitou que conseguíssemos dar conta de todo o trabalho. Agora em 2015 já estamos realizando esse trabalho e os dados poderão futuramente ser comparados com os de 2016”, afirma Daniela.


Como é feito o caxambu


A engenheira ambiental Raquel Gomes de Almeida ensina que após a análise da nascente feita pela equipe técnica, começa a preparação do local. Todo o lodo, folhas e raízes devem ser removidos até se chegar à terra firme, a limpeza é importante, pois a nascente vai ficar lacrada e não se terá mais acesso a ela.
Depois disso, com cal é feito a desinfecção das paredes da nascente e na sequencia usa-se um tubo com canos de plástico acoplados com argamassa, a serem usados para as saídas da água. Então abre-se uma vala no sentido em que a água nasce e este será o local por onde a água vai até o tubo.
Veda-se bem as paredes com o tubo, formando uma espécie de muro que terá todo o interior preenchido por pedras ferro. As pedras tem o objetivo de formar um grande filtro para passagem da água desde a nascente até o cano de saída.
Além disso, durante a execução do trabalho é necessário lavar as pedras com água sanitária. Posteriormente coloca-se uma lona preta por cima das pedras, que terá o objetivo de evitar que a água da chuva infiltre na nascente levando consigo poluição e partículas de solo.
E por fim, toda a lona e a nascente são cobertas com terra, local em que a vegetação vai nascer. Depois de certo tempo, com o crescimento da vegetação, percebe-se apenas o tubo com os canos que são as saídas de água. O indicado ainda é cercar toda a área e plantar diversas árvores nas imediações, as quais irão ajudar.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Filhotes para Adoção


Estes pequeninos estão em busca de um lar.
São saudáveis e adoram brincar.
São dois machos e uma fêmea, tem aproximadamente 2 meses.
Interessados favor entrar em contato com Cleusa: 9991-2363



segunda-feira, 4 de maio de 2015

DESCARTE DE LIXO

O descarte de lixo em locais inadequados gera grandes problemas para todos os habitantes de um mesmo município, tendo ele sido o responsável pelo descarte ou não.

O que o descarte em local inadequado pode causar?
Os maiores problemas causados pelo descarte do lixo em local inapropriado são: o entupimento de bocas de lobo/bueiros, alagamentos de áreas urbanas, poluição das águas e do solo e também proliferação de doenças graves como: cólera, amebíase, hepatite e giardíase.

O que posso fazer com o meu lixo?
O nosso município conta com a coleta do lixo orgânico e de materiais recicláveis. O lixo deve ser separado e acondicionado em embalagens separadas e colocado na lixeira no dia de coleta no seu bairro.

Qual a diferença entre lixo orgânico e inorgânico?
Resíduos Orgânicos: são de origem animal ou vegetal. Como por exemplo, restos de alimentos, guardanapo, fraldas e papel higiênico.
Resíduos Inorgânicos: são geralmente recicláveis, em sua maioria são os lixos secos como: copos descartáveis, embalagens de alimentos, sacos plásticos, garrafas pets, latinhas de refrigerante, papelão, vidro, isopor.

Em que dias os caminhões de coleta passam no meu bairro?

Tabela da coleta convencional – orgânico/ rejeito    

MANHÃ
SEGUNDA-FEIRA
TERÇA-FEIRA
QUARTA-FEIRA
Belo
Martelo
Belo
Gioppo
Km 4
Gioppo
N. Salete
Vila S. Teresinha
N. Salete
Rancho Fundo
Bairro Industrial
Rancho Fundo
São Cristóvão
Vila Adami
São Cristóvão
TARDE
Reunidas
Berger
Reunidas
Municípios
Bom Jesus
Municípios
DER
Sorgatto
DER
Tabajara
Figueroa
Tabajara
Vila Kurtz
Alto Bonito
Vila Kurtz
S. Clara
Bom Sucesso
S. Clara
Menegasso
Morada Do Sol
Menegasso
Vila S. Catarina
Vereda dos Trevos
Vila S. Catarina
Mutirão
Jardim Dileta
Mutirão
Santelmo
Santelmo
Paraíso
Paraíso
Champagnat
Champagnat
Monge João Maria
Monge João Maria
MANHÃ
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
SÁBADO
Martelo
Belo
Martelo
Km4
Gioppo
Km 4
Vila S. Teresinha
N. Salete
Vila S. Teresinha
Bairro Industrial
Rancho Fundo
Bairro Industrial
TARDE
Vila Adami
São Cristóvão
Vila Adami
Berger
Reunidas
Berger
Bom Jesus
Municípios
Bom Jesus
Sorgatto
DER
Sorgatto
Figueroa
Tabajara
Figueroa
Alto Bonito
Vila Kurtz
Alto Bonito
Bom Sucesso
S. Clara
Bom Sucesso
Morada Do Sol
Menegasso
Morada Do Sol
Vereda dos Trevos
Vila S. Catarina
Vereda dos Trevos
Jardim Dileta
Mutirão
Jardim Dileta
Santelmo
Paraíso
Champagnat
Monge João Maria


Recicláveis